Pensamento crítico, moda, artes visuais

[29.11] Moda e estética: a vida como obra de arte

O curso Moda e estética: a vida como obra de arte, tem como objetivo geral a análise crítica da noção de “estética da existência” conceituada nos anos 80 por Michel Foucault. A partir de seu entrelaçamento com a Moda, enquanto finalidade existencial, analisar como a vestimenta é capaz de criar a “estetização do eu” (Lipovetsky). Em um primeiro momento, trata-se de descontruir a visão corrente desenvolvida pela Teoria e a história da Moda eurocêntrica da vestimenta apenas como distinção social, isto é, o vestir como pertencimento e distinção entre grupos e classes.
Formato

Online
e ao vivo
(em direto)

Data de início

29 de novembro

Duração

4 semanas
4 aulas
6 horas

Opções de pagamento

Pix
Boleto bancário
Cartão de crédito 

Investimento


R$320

Horários

quartas-feiras 
[BR] 19h às 20h30
[PT] 22h às 23h30

Para pagamentos via Pix ou boleto, envie um email para [email protected]

Estou impressionado com o fato de que em nossa sociedade a arte se tornou algo que diz respeito a objetos e não a vida ou indivíduos. A arte é uma especialidade reservada a especialistas, artistas. Por que ninguém pode tornar sua vida uma obra de arte? Por que uma certa lâmpada ou uma casa podem ser obras de arte e minha vida não pode ser? (...)
Michel Foucault em sua última entrevista, 1984.

Cronograma

Sobre o curso

Deslocando o sentido originário da estética da existência como technē tou biou (arte, técnica da vida), em Foucault, propomos o repensar do “conhecimento e o cuidado de si” ético, sem dispensar o estético, possuindo o corpo-vestido a capacidade dematerializar “subjetividades desviantes”, transformando a vida do indivíduo emobra de arte.

Pelo conceito de “roupa de artista”, proposto pelos movimentos estético-políticos como o surrealismo francês, o construtivismo russo, o futurismo italiano, os trajes simultâneos do casal Robert e Sonia Delaunay, o Vestido Reforma de Gustave Klimt,a vida e a obra de Charles Baudelaire, Georg Sand, Virginia Woolf, Marcel Proust,Flávio de Carvalho, José Leonilson, Arthur Bispo do Rosário e Hélio Oiticica, revelarque o século 20 apropriou- se da Moda como manifesto no corpo, ruptura, subversãoe contestação de uma única ética/estética.

Objetivos

- Relacionar a Moda com as noções de “estética da existência”, “arte e técnica davida”, “conhecimento e cuidado de si” do Foucault dos anos 80;

- Repensar a noção de moderno, modernidade e modernismo da Moda sob aperspectiva da estética da existência;

- Pensar as vanguardas modernistas pelo conceito de “roupa de artista”, isto é, aproposição desses movimentos estético-políticos para a Moda (surrealismo,futurismo, etc);

- Recolocar o problema das Formas na produção artística das vanguardasmodernistas como a instauração radical de Formas de vida inteiramente outras.

Inclui certificado

Todas as formações do f/508 incluem certificação mediante participação nas aulas

Acesso às gravações

Todas as aulas online do f/508 são gravadas e fornecidas para que o aluno possa revisitá-las por 6 meses

Público alvo

Interessados, estudantes, pesquisadores e profissionais de moda, artes e ciências humanas.

Pré-requisitos

Nenhum pré-requisito será solicitado para este curso. 

Brunno Almeida Maia

Bio
Pesquisador em Filosofia e teoria de Moda pela UNIFESP, é coordenador pedagógico e professor convidado do IED (Istituto Europeo di Design), de São Paulo, da Escola de Comunicação e Arte (ECA) da Universidade de São Paulo (USP), do SENAC Lapa, da FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado) e do Centro Universitário Belas Artes. Já ministrou aulas sobre a relação entre a moda, a filosofia, a arte e a literatura em espaços como MAM (Museu de Arte Moderna) de São Paulo, Casa Museu Ema Klabin, Adelina Instituto, Oficinas Culturais Oswald de Andrade, Oficina Cultural Casa Mário de Andrade, Sesc Consolação, Sesc Pompéia, Sesc Ipiranga, CPF – Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, Sesc Jundiaí, Sesc 24 de maio, Sesc Belenzinho, Casa da Palavra Mário Quintana, em Santo André (SP), Oficina Cultural Hilda Hilst, em Campinas (SP), Galera AMDO, em Belo Horizonte (MG), Biblioteca Mário de Andrade, Fábricas de Cultura, Biblioteca Pública Pedro Nava, Escola São Paulo. É autor do livro “O Teatro de Brunno Almeida Maia” (Editora Giostri, 2014). Também assina capítulo sobre a relação entre a literatura e a moda no romance Lucíola (1862) de José de Alencar no livro “Moda Vestimenta Corpo” (Editora Estação das Letras e Cores, 2015), e é um dos autores da antologia “São Paulo em Palavras” (Editora Aquarela Brasileira, 2017). Foi facilitador pedagógico do módulo I de formação em Cidadania e Direitos Humanos do Programa “Transcidadania”, uma iniciativa da Prefeitura Municipal de São Paulo, com a CADS (Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual) e Centro de Cidadania LGBT SP. Atualmente trabalha em seu próximo livro “Tempos de exceção: ensaios sobre o contemporâneo” (Editora Cosmos, no prelo).
Created with